UMA DUPLA PERIGOSA: NICOTINA E MONÓXIDO DE CARBONO

Quando fuma você inala um gás nocivo que é o monóxido de carbono.
Depois de entrar nos pulmões ele é absorvido pela corrente sanguínea.

Os glóbulos vermelhos do sangue tem a quantidade de oxigênio diminuída devido a presença de monóxido de carbono. O colesterol depositado nas artérias também aumenta, e assim essas artérias endurecem com o passar do tempo, causando doenças cardíacas e um possível ataque cardíaco.

Com um grande poder viciante, a nicotina é um perigoso produto químico.
O aumento da frequência cardíaca, pressão arterial, estreitamento das artérias e fluxo sanguíneo são causados pelo uso da nicotina.
A nicotina contribui com o endurecimento das artérias podendo ocasionar posteriormente um ataque cardíaco.
Seis a oito horas é a quantidade de tempo estimada que a nicotina pode permanecer em seu corpo, dependendo da frequência da nicotina inalada.
Existe também outro fator como a abstinência existente na maioria das substâncias que viciam e que causam alguns efeitos colaterais.
Ao contrário do que se pensa os cigarros tradicionais não fornecem menos nicotina do que alguns produtos de tabaco e cigarros eletrônicos.

FUMO PASSIVO
A fumaça do cigarro não afeta unicamente os fumantes.
Os fumantes passivos correm um sério risco de saúde, levando em consideração principalmente as crianças.
Quando expostos ao fumo passivo, as pessoas que não fumam, portadoras de colesterol ou pressão alta, tem maior propensão para desenvolver doenças cardíacas.
Mortes por câncer de pulmão e milhares de doenças cardíacas prematuras são resultados do fumo passivo do tabaco.

Segundo estudos, as pessoas expostas à fumaça ambiental tem cerca de 25 a 30% a mais de possibilidade de desenvolver doenças cardíacas
O fumante passivo é vítima de doenças.
Infecções respiratórias afetam muito mais filhos de fumantes do que filhos de não fumantes.

Deixe uma resposta